Ir para o conteúdo

Jurubeba Digital

Tela cheia Sugerir um artigo

Últimas Notícias

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

ASPASIANOS GOLPISTAS derrotados em Brasília

3 de Maio de 2018, 14:56, por Feed RSS do(a) ACMDSilva

A assembléia Geral de Brasília de campanha salarial derrotou, hoje, os ASPASIANOS GOLPISTAS. O ovo da serpente golpista no Serpro, atualmente, é chocado em Brasília com os ASPASIANOS GOLPISTAS que viraram capachos e ajudantes de ordem do atual governo e da diretoria do SERPRO. 

Veja o vídeo abaixo para os registros da história que os trabalhadores e trabalhadoras do SERPRO não querem perder seus direitos:

No final da edição do post do jurubebadigital, noticia que a regional ANDARAÍ/RJ também rejeitou a proposta, tudo indica que mais uma derrota de outra facção que defende essa diretoria - o espólio denominado de FNI.

 

assembleiaBSB[1].mp4

 



Serpro - campanha salarial com perdas

3 de Maio de 2018, 10:11, por Feed RSS do(a) ACMDSilva

As assembléias no Serpro seguem seu curso político, há nos corações e mente da comunidade serpriana que o governo ilegítimo e a atual diretoria se aproveitam do momento conjuntural para implementarem o ACT com perdas salariais e de direitos. 

O voto dos trabalhadores e trabalhadoras tem que ser critico e de protesto, mesmo que seja para aprovar essa proposta indecorosa.

No intuito demagogico querendo empurrar na marra um ACT de perdas, inegavelmente, essa atual diretoria é impopular na comunidade serpriana, no mesmo tombo do governo golpista de Temer.

 



Primeiro de Maio sacode Curitiba

1 de Maio de 2018, 12:51, por Feed RSS do(a) ACMDSilva

Quem diria Curitiba onde o ovo da serpente choca com a republica curitibana Golpista. Sergio Moro e os procuradores do MP todos coxinhas devem está muito incomodados com a Avalanche de pessoas, militantes, personagens públicas, artistas e intelectuais.

Primeiro de maio inesquecível para um Pais que quer recuperar sua democracia.

 

#LulaLivre #eleicoeslivres #queremosnossademocracia



CASO CHAPECÓ - SERPROS PERDE UM MILHÃO DE REAIS.

25 de Abril de 2018, 19:14, por Feed RSS do(a) ACMDSilva

A atual direção do SERPROS, por algum motivo desconhecido dos participantes omitiu a real situação do acordo na justiça no caso Chapecó, que resultou em prejuízo aos participantes na ordem de hum milhão de reais.

Vamos explicitar o fato sobre esse caso Chapecó. A bem da verdade, quando houve o primeiro golpe da PREVIC em formato de intervenção no ano de 2015, o assunto CHAPECÓ caiu no colo do capitão do mato da PREVIC - o interventou Walter Parente. No entanto, o mesmo, rechaçou qualquer tentativa de acordo com os representantes da CHAPECÓ.

A negativa do interventor da PREVIC sobre o caso CHAPECÓ foi de estranhar, pois as cifras acumuladas já era pra tratar o assunto com mais zelo. Foi em nossa gestão na governança do SERPROS que o assunto CHAPECÓ veio a baila já com prazos exiguos e o fundo com pouca credibilidade pela negligência do interventor quando os advogados da CHAPECÓ tentaram firmar tratativas de acordo judicial.

A justificativa da PREVIC albergada no Serpros, no primeiro período de intervenção (2015/2016), era que não se podia pactuar acordo na justiça. No entanto, nossa gestão constatou que o interventor e a gerência de benefícios celebrou um acordo com o cidadão Mário Teixeira na ordem de R$ 463mil, com uma conta aberta em tempo recorde no banco Itaú. Essa ação foi estranhissima o pagamento autorizado pela gerência de beneficios, haja vista que todo e qualquer valor deve ser depositado judicialmente, bem como o processo era exequível de recurso judicial pelo SERPROS. Como diria Dauto muito estranho, muito sinistro.

ACORDO judicial em torno de 2milhões, nossa gestão construiu através da governança jurídica do Serpros, naquela oportunidade, em conjunto com os advogados da CHAPECÓ as premissas de pactuamento para conclusão do processo. Para as garantias do SERPROS foram operacionalizadas análises com os setores: jurídico, atuarial e compliance que atestaram as premissas do acordo.

Vale ressaltar quando assumimos a governança do SERPROS, e, nos deparamos com essa pendência (Chapecó), o montante reivindicado se consubstanciava na ordem de 6 milhões reivinidcados pela CHAPECÓ, e, em estágio bem avançado na Terceira Vara da Comarca da cidade de Chapecó/SC.

Nossa gestao, então, colocamos na ordem de prioridade resolver essa pendência, que a bem da verdade percorreu uma linha tênue na justiça de Chapecó e Rio de Janeiro. A origem do débito da Chapecó com o SERPROS, de uma simples multa na ordem aproximadamente 400mil transmou-se em cifras de valores insustentáveis para o nosso fundo.

Cabe registar que todas as nossas diligências e filtros para tentar entender a origem do processo, indicaram perdas de prazo tanto da governança jurídica do SERPROS, a época, comandada por Ana Paula Pimenta, bem como os escritórios externos. Ana Paula Pimenta foi demitida do SERPROS, no entanto, recentemente foi recontratada pela PREVIC através do interventor.

Portanto, todos os nossos esforços de negociação com os representantes da Chapecó pactuamos valor macro de 2milhões de reais para quitação da divida e de todo o processo. A bem da verdade, ao buscarmos pautar o tema no CDE - os ASPASIANOS (chamados conselheiros eleitos) boicoitaram a reunião (mesmo tendo recebidos dinheiro do fundo:diarias, hotel e passagem aereas) até mesmo por já terem feedback que a PREVIC na semana seguinte promoveria o segundo golpe em formato de intervenção. Resultado da empreitada o interventor engavetou pela segunda vez o acordo onde as premissas já estavam todas alinhadas, mas o representante da PREVIC abortou todo e qualquer processo de nossa gestão, mesmo ele tendo se albergado por mais um ano no SERPROS. A PREVIC tem responsabilidade nessa perda aos participantes no valor de hum milhão de reais.

Fomos filtrar o atual processo pactuado pela atual gestão que resultou no montante de grana em torno de 3milhões de reais. O processo sob os auto nº (0002272-31.2004.8.24.0018/04 (018.04.002272-0) da terceira comarca de Chapecó/SC, constatamos que a maioria das premissas do atual pactuamento nos deixa nítida impressão que se operacionalizou um control C e control V pelo SERPROS.

A atual mandataria do Serpros omitou que a CHAPECÓ bloqueou do Serpros valores na ordem de R$ 246.846,29 (duzentos e quarenta e seis mil, oitocentos e quarenta e seis reais e vinte e  nove centavos.

Aqui transcrevemos parte do conteúdo da sentença:

"O executado SERPROS, pagará diretamente à Alves, De Nadal, REis e Mezadri Advogados Associados, sociedade de advogados que o exequente integra (contrato social anexo), o montante de R$ 3.000.000,00 (Três milhões de reais), como forma de desobrigar-se de qualquer ônus porventura existente decorrente do objeto desta execução com a total permissão do artigo 85,§15 do código do Processo Civil". 

Os senhores tão sorridentes nas imagens se omitem no processo CHAPAECÓ?

Foto: Google/AspasEleiros

 



Greve dos rodoviários deixa-nos a lição

24 de Abril de 2018, 10:30, por Feed RSS do(a) ACMDSilva

Foram 5 dias de luta e resistência da categoria dos rodoviários contra uma patronal escravagista, muito desses patrões albergados no Setransbel - sindicato pateonal.

Essa mesma patronal muitos ainda com as famiglias da portuguesada como assim se referem os rodoviários, controlam esse pessimo transporte público como onibus incompativeis, não climatizados e as tarifas são aferidas com um método de política de preços de 50 anos atros.

Recentemente por autoria do vereador Marcelo Carneiro (PSOL) apoiado pelos vereadores do PT e PCdoB, tentou-se debater um projeto de climatização do transporte público em Belém. O projeto foi abortado pelos chamados vereadores da base de apoio do prefeito Zeraldo aeie Coutinho. Segundo os vereadores de oposição a patronal pressionou os vereadores contra o projeto.Lamento que o sindicato dos rodoviarios não tenham protestado contra a camara de vereadores de Belem.

Nunca e tarde pra relembrar que os magnatas dos transportes através da CNA - Confderacao dos Transportes foram os signatários da famigerada reforma trabalhista financiando campanhas de inumeros deputados federais e senadores. Assim esses empresários da elite paulistana pensam que mandam no pais.

A lição que fica da greve foi a unidade entre 3 sindicatos que agregou toda a região metropolitana: Belém, Ananindeua e Marituba no que quebrou as pernas da patronal. Outro fator foi a forte mobilização da categoria que ignorou a desembargadora que tentou furar a greve obrigando a categoria colocar 80% da frota em circulação.. Essa justiça nos dias de hoje não merecem crédito, vale a pena se insurgir contra qualquer decisão contra os trabalhadores.

Fica a lição que sem unidade entre sindicatos e categorias a greve como direito dos trabalhadores não terão resultados favoráveis as suas categorias. Sendo assim, hoje, no serpro, deve-se pensar na unidade dos sindicatos de TI com os sindicatos da receita federal e pensar numa mobilizacao unificada no Miniaterio da Fazenda pq aqui temos uma parte do coração da economia do país.



tuíte pro jurubeba

jurubeba no twitter